Latam detalha seus próximos passos no internacional

|


Filip Calixto
Em dezembro, Latam deve estar operando 61% do nível pré-pandemia
Em dezembro, Latam deve estar operando 61% do nível pré-pandemia
A Latam Brasil deve anunciar seu retorno à Colômbia nas próximas semanas. O diretor comercial da companhia, Diogo Elias, afirmou hoje na Live PANROTAS - Retomada das Viagens que conforme as fronteiras vão se abrindo para o visitante brasileiro, a empresa vai servindo os destinos internacionais. É o caso do país andino, que já aceita brasileiros e é isenta de apresentação de teste PCR.

"Devemos voltar muito em breve a voar para Bogotá", afirma o diretor. "A ideia é servir os destinos que começam a reabrir, como foi com a Argentina. Buenos Aires é hoje o destino internacional mais procurado na Latam nos canais direto e indireto. O câmbio argentino está favorável, ainda mais com a alta do euro e do dólar. Devemos aumentar a frequência para a Argentina na alta temporada de verão, a partir de dezembro." A Latam retomou o serviço a Buenos Aires um dia depois de a fronteira do país vizinho ser aberta a brasileiros.

Divulgação
Diogo Elias, diretor comercial da Latam Brasil
Diogo Elias, diretor comercial da Latam Brasil
A Cidade do México é outro destino em voga na Latam Brasil, principalmente depois do codeshare firmado com a Aeromexico. "Isso porque a capital mexicana não é necessariamente um destino de lazer, e a nossa nova parceira ajuda a preencher melhor as demandas do viajante de férias, principalmente conectando com Cancun", explica Diogo Elias. "Depois de Buenos Aires, a Cidade do México vem tendo a maior crescente nas procuras."

Se o critério de abertura continuar sendo seguido, Joanesburgo também pode estar próximo de ter a ligação da Latam retomada com São Paulo. A África do Sul liberou hoje suas fronteiras para visitantes internacionais. Não é o caso de Barcelona, Milão e Tel Aviv, destinos em que a Latam operava pré-pandemia, mas seguem restritos.

Seguindo a tendência de que as viagens serão mais próximas e rumo a destinos de natureza nos próximos meses, a Latam aguarda a liberação oficial de países como Chile e Peru, que já sinalizaram retorno, mas ainda não bateram o martelo. "Mais do que destinos finais, esses são hubs importantes para nós, o que aumenta a importância de oferecermos mais voos com o Brasil."

A previsão da companhia é de, em dezembro de 2020, voar 61% do que voava no último mês de 2019, mas o internacional, devido ao fechamento de fronteiras, dilui este volume. Se o recorte fosse só doméstico, certamente a Latam já estaria mais perto dos índices apresentados em dezembro do ano passado.

CORPORATIVO ACORDA AOS POUCOS
Os viajantes de lazer ocupam a maior parte dos voos da Latam Brasil hoje, mas o corporativo começa a dar sinais de retomada aérea. "Quase 90% das empresas parceiras da Latam já fizeram ao menos uma compra durante a pandemia. Claro que o volume de compra delas ainda é pontual, mas em quantidade de empresas já vemos sinais importantes de retomada. A confiança de voar já foi resgatada. Agora está na governança das empresas", afirma o diretor comercial.

No entanto, tal índice ainda está quase todo restrito ao âmbito doméstico.

FLEXIBILIDADE
Diogo Elias aponta que é preciso existir flexibilidade na remarcação dos bilhetes, e que a Latam Brasil está comprometida com esta ação.

"A essa altura da pandemia voltamos a cobrar diferencial tarifário, algo que não fazíamos no início, mas seguimos flexíveis, sem cobrar multa por alteração e cancelamento", afirma Elias.

"Voos internacionais apertam mais o orçamento das empresas. Embora algumas indústrias como óleo e gás venham demonstrando reaquecimento, outros setores importantes ainda não retomaram as viagens ao Exterior, como é o caso das farmacêuticas."

CONSUMIDOR MAIS CONFIANTE
O fator ocupacional nos voos internacionais da Latam, que ainda é baixo, segundo o diretor, apresenta sinais de melhora ao passo em que o consumidor fica mais confiante em embarcar em um voo internacional. "Os passageiros estão respeitando, disciplinados, às regras, além de estarem cada vez melhor informados sobre o baixo risco de contágio a bordo", afirma.

Assista à live completa no player a seguir:


 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA