Delta lança rastreamento para viajantes que retornam aos EUA

|

Divulgação
A partir de 15 de dezembro, a Delta Air Lines passará a solicitar aos clientes que viajam para os Estados Unidos de um local internacional que forneçam voluntariamente cinco dados para ajudar na busca de contatos e nos esforços de acompanhamento de saúde pública, incluindo: nome completo; endereço de e-mail; endereço nos EUA; telefone principal; e telefone secundário. Ao compartilhar as informações simples, a aérea espera que o os clientes ajudem as autoridades de saúde a reduzir os casos de covid-19.

“Estudos independentes mostraram que as várias camadas de proteção que a Delta já implementou estão efetivamente minimizando o risco de transmissão de covid-19 e o rastreamento de contato adiciona mais uma camada importante aos nossos esforços para garantir a segurança durante a viagem. Queremos que os clientes se sintam seguros quando voltarem para a viagem, e este programa voluntário é outra maneira de oferecer garantias adicionais aos clientes e funcionários”, afirmou o diretor de Experiência de Cliente da Delta, Bill Lentsch.

Os clientes e aqueles em seu itinerário podem participar voluntariamente no programa de rastreamento de contatos se estão voando em qualquer voo operado pela Delta e se são estrangeiros e/ou portador de passaporte dos EUA viajando para os Estados Unidos como seu destino final.

No novo processo, a Delta está trabalhando com o CDC para agilizar os esforços de rastreamento de contatos, transmitindo direta e seguramente os cinco pontos de dados do cliente solicitados para o CDC via Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA. Isso dará ao CDC acesso aos dados em instantes, diminuindo drasticamente o tempo que leva para notificar os clientes afetados por meio dos departamentos de saúde locais.

DELTA MUDA DIRETOR NO BRASIL
VOO SP-ATLANTA SERÁ DIÁRIO DIA 17/12

"Os dados são fundamentais para nossa visão do futuro das viagens e entendemos que nossa visão é tão boa quanto a confiança que os clientes depositam em nós para proteger sua identidade e informações. Todos os dados enviados por clientes por meio desse processo de coleta voluntária são enviados ao CDC por meio de canais estabelecidos entre as companhias aéreas e a Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA para o Sistema de Informações Antecipadas de Passageiros. Iremos reter essas informações por não mais tempo do que o necessário para alcançar os objetivos de rastreamento de contato e acompanhamento de saúde pública, ou conforme exigido pela Alfândega e Proteção de Fronteiras", comunicou a companhia aérea

Na semana passada, a Delta anunciou parceria com o Aeroporti de Roma e o Aeroporto Internacional Hartsfield-Jackson de Atlanta para lançar um programa de teste transatlântico que permitirá a entrada na Itália sem quarentena. Como parte desse programa piloto, a coleta de informações de rastreamento de contato será obrigatória para todos os clientes que voam para os EUA. A aérea defende o programa e o rastreamento como etapas cruciais para retomar as viagens internacionais com segurança.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA