Em setembro, Air France-KLM chega a 36 dos 44 voos semanais do Brasil

|


PANROTAS / Marluce Balbino
Manuel Flahault, diretor geral da Air France-KLM na América do Sul
Manuel Flahault, diretor geral da Air France-KLM na América do Sul
Até o próximo ano, a Air France-KLM deverá ter recuperado completamente sua oferta de voos pré-pandemia entre Brasil e Europa, segundo o diretor geral da companhia na América do Sul, Manuel Flahault. Em entrevista realizada durante o Fórum PANROTAS 2022, Flahault contou que aos atuais 34 voos semanais serão acrescidas mais duas frequências em setembro, alcançando 36, em comparação com os 44 voos semanais operados pela Air France-KLM em 2019.

“Recuperar a oferta que tínhamos antes da pandemia é uma verdadeira missão de nossa equipe aqui na região”, afirmou. Com as novas frequências, serão 12 voos semanais entre São Paulo e Paris.

Mesmo sabendo que a pandemia criou uma demanda reprimida, Flahault disse ter se surpreendido com o “apetite por viajar” do mercado brasileiro. “A recuperação começou com as viagens familiares, para visitar amigos e parentes, e desde o ano passado vimos um aquecimento muito forte do mercado de lazer”, contou. “Neste ano, já registramos a retomada também do mercado corporativo, de forma bastante acelerada”, acrescentou. “Em abril, duplicamos as vendas no corporativo, na comparação com o mês de janeiro deste ano.”

Com ocupação média acima de 90% nos voos a partir de São Paulo, Rio de Janeiro e Fortaleza, Flahault disse que muitas operações chegam a 95%. “Ainda temos uma defasagem de oferta, diante da força da demanda, e, lamentavelmente, as tarifas estão mais altas, tendo uma relação de custos mais complexa”, analisou, lembrando que o preço do combustível hoje é o dobro do praticado há um ano. “Em relação ao querosene de aviação há ainda um agravante em relação às refinarias, muitas delas na Rússia. Com o início da guerra, houve um remanejamento da busca pelo produto, aumentando ainda mais os custos.”

Novo serviço e cabines
Desde o último dia 20, por conta da parceria com a Gol, a Air France-KLM oferece voos desde o Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, para Guarulhos, em São Paulo, para os passageiros cariocas que desejam viajar na Primeira Classe da Air France-KLM na rota São Paulo-Paris. Os voos diários ganham a facilidade dessa conexão criada pela parceria com a Gol, que Manuel Flahault classifica como ‘combinação perfeita de forças’. “Chegamos ao nível ótimo de nossa parceria, com a Gol fazendo as conexões pelo interior do Brasil e, agora, com esse serviço entre o Santos Dumont e Guarulhos que atende perfeitamente nosso passageiro de primeira classe”, disse.


Divulgação/Air France
Cabine La Première, primeira classe da Air France
Cabine La Première, primeira classe da Air France

O diretor da companhia aérea no Brasil anunciou para breve as novas cabines premium nos voos do Rio de Janeiro e para até o princípio de 2023 a nova classe Premium Comfort nos aviões da KLM. “É uma classe intermediária com muito mais conforto que a econômica, mas com tarifas pouco superiores, como nas economy plus”, comparou.

Combustível e sustentabilidade
Comprometida em reduzir em 30% as emissões de CO2 até 2030, na comparação com 2019, a Air France-KLM aposta na renovação da frota, com aviões mais ecoeficientes, e na substituição do combustível como pilares da redução de emissões. “Investimos um bilhão de euros ao ano na renovação de nossa frota e todos nossos voos que saem de Paris já tem uma parte de seu combustível substituído pelo SAF, o combustível ecológico”, conta Flahault. A substituição tem o objetivo de passar de 1% para 5% do SAF, que tem 80% menos de emissões de dióxido de carbono, até 2030. Na área social, o diretor da empresa na América do Sul diz que os trabalhos estão centrados na diversificação das equipes, com foco na inclusão.

*Maria Izabel Reigada, especial para o Portal PANROTAS

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA